Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Uma viatura do 1º Batalhão da Polícia Militar foi atingida por um disparo de arma de fogo quando atendia uma ocorrência no Conjunto São José, no Bairro do Buritizal, zona sul. O crime ocorreu na manhã desta terça-feira (5).

Os policiais tinham sido acionados pelo Ciodes a pedido de moradores assustados com homens que estavam andando armados em alguns blocos do conjunto.

Quando chegaram ao local, os policiais ouviram um disparo e logo em seguida um dos vidros traseiros da viatura foi destruído. O tiro não atingiu nenhum policial.

Polícia exibe as armas apreendidas. Fotos: Olho de Boto

Ar comprimido engana na hora do assalto

A equipe fez o cerco aos criminosos que acabaram presos. Paulo Rodrigo da Silva, de 21 anos, e Rogério Neves Monteiro, de 19 anos, foram conduzidos na mesma viatura para o Ciosp do Pacoval.

Eles tinham duas armas de fogo: um revólver calibre 22 e uma arma de ar comprimido. Um terceiro criminoso, identificado como “Cachorra”, conseguiu fugir. O elemento já estava sendo procurado por furto de uma moto no São José.

“A vítima estava rodando de mototáxi e chegou tarde, deixando a moto na garagem. De manhã não estava mais. Achamos a moto atrás do Superfácil (zona sul)”, comento o sargento Sarmento, do 1º BPM.

Policiais receberam informações de que haviam elementos armados no conjunto

Dois criminosos foram presos. Um comparsa acusado de furto conseguiu fugir

O presidente da Associação de Moradores do Conjunto São José, Klebson Pereira, lamentou mais um episódio que só fortalece a imagem violenta do conjunto. Segundo ele, a maioria dos crimes é cometida por pessoas de outros bairros. 

Um dos presos pela PM, por exemplo, mora no Bairro Zerão, mas gosta de cometer crimes no Conjunto São José.

 “No conjunto a maioria é pessoa de bem. Só que estamos situados no limite com cinco bairros, e temos pessoas que transitam aqui e cometem delitos. A população do São José acaba sendo marginalizada”, protestou.

Compartilhamentos