Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

O aplicativo Uber passou a funcionar às 14h da última quarta-feira (28) em Macapá. A companhia de trânsito da capital amapaense (CTmac)  disse que se flagrar qualquer veículo oferecendo o serviço, irá recolher e aplicar as multas devidas.

O anúncio de início das atividades na cidade foi feito nesta quarta no site oficial da empresa. Em nota, foram divulgado os valores que serão praticados pelos franqueados, que deverão cobrar R$ 1,15 por quilometro rodado e mais R$ 0,10 por minuto.

A chegada do aplicativo na cidade tem incomodando os taxistas que desde a primeira reunião do Uber  para captação de parceiros, no mês passado, estão buscando meios para impedir que a empresa opere.

O taxista João Pimentel, que compõe a diretoria do Sindicato dos Taxista de Macapá, disse que a categoria tem se reunido e proposto soluções para coibir o funcionamento do Uber na cidade. Ele disse que está aguardando a aprovação de uma lei que proíba o serviço.

“Fizemos uma reunião no Ministério Público pedindo que eles nos ajudem a elaborar uma lei para proibir o serviço. Ela será enviada para a Câmara e o prefeito ficou de aprovar”, informou o taxista.

CTMac

A CTMac promete recolher os carros que forem flagrados prestando o serviço com base na legislação municipal que proíbe a utilização deste tipo de aplicativo.

“Além do que, a atribuição para cadastrar pessoas para fazer transporte público onerado é da prefeitura de Macapá. Nós vamos entrar com ações para coibir esse tipo de ação”, enfatizou o presidente da companhia, André Lima.

Lima explica também que a prefeitura se comprometeu a criar um aplicativo similar ao Uber para taxistas.

“A pedido deles, nós estamos criando um aplicativo  que possa gerar para os taxistas uma condição de igualdade”, ressaltou.

Compartilhamentos