Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

O que seria o deslocamento de uma paciente em gravidez de risco do arquipélago do Bailique para Macapá, virou parto em pleno voo, durante a tarde desta terça-feira (6).

A equipe do Grupo Tático Aéreo (GTA), junto com uma enfermeira local, não hesitaram em realizar o procedimento, notando as contrações da mãe, a jovem Shirlana Graciela Anjos dos Santos,de 19 anos. Assista:

Segundo o Capitão Alisson, do GTA, a criança nasceu bem de saúde e é uma menina. Ele relata também que a mãe não poderia fazer o parto no arquipélago.

“A gravidez era de risco e o bebê estava com o batimento cardíaco muito baixo. A mãe estava com sangramento, ou seja, tanto a mãe quanto a criança, segundo o médico local, foram diagnosticados como em um parto de risco, mas graças a Deus tudo correu muito bem durante o voo”, disse o piloto.

Equipe chega em Macapá para encaminhar pacientes para o Hospital da Mulher. Foto: Olho de Boto

A tripulação que atendeu a ocorrência, foi formada por além do capitão Alisson, pelo Comandante Finon, o tripulante Teles e a enfermeira do Bailique, Maria Léia, que foi quem realizou o parto. Eles relataram que pretendem logo reencontrar a mãe para saber como está o bebê, que ainda não tem nome.

“É uma profissão motivadora. O GTA é feito para servir a população, principalmente quem está mais distante”, concluiu o capitão.

A enfermeira Maria Léia comentou sobre a importância da operação conjunta com o GTA para salvar vidas na região.

Bebê é socorrido ao chegar em solo

Profissionais do GTA e a enfermeira Maria Léia

“O GTA sempre que a gente está lá no Bailique nos auxilia. Hoje, com a graça de Deus, conseguimos fazer um parto nas alturas e com excelência. Fico muito feliz porque são excelentes profissionais e, formando uma equipe só conosco, conseguimos salvar vidas. E esse é o nosso objetivo”, comemorou a profissional de saúde.

Depois de deixar mãe e o seu bebê no Hospital da Mulher, no Centro de Macapá, o GTA tinha ainda mais uma ocorrência para atender no Bailique. Um paciente que necessita fazer uma cirurgia com urgência. A equipe multiprofissional, formada por bombeiros, policiais civis, militares, dentre outros, seguiu o percurso de fazer o que lhe foi atribuído: salvar vidas em todas as situações a que foram preparados, até mesmo em pleno voo. 

Ao deixar família em Macapá, equipe volta para mais uma ocorrência

Compartilhamentos