Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Será sepultado nesta segunda-feira (24) o corpo do pintor automotivo Manoel Ferreira Ramos, de 51 anos, conhecido na comunidade do Bairro dos Congós como “Manoelzinho”. A família está informada com o fato de o motorista acusado de causar o acidente ter sido liberado depois de prestar depoimento no Ciosp do Pacoval.

A tragédia ocorreu por volta das 22h do último sábado (22). Manoelzinho morreu no HE depois ser atingido por uma picape Triton quando trafegava pela Avenida Maria Quitéria com a Rua Santos Dumont. A família diz que o motorista teria avançado o sinal vermelho.

“As testemunhas informaram que o rapaz (motorista da picape) atravessou em alta velocidade com o sinal fechado. Ele não parou para prestar socorro, mas o carro dele deu problema e parou logo em seguida. Alguns mototaxistas cercaram ele para não fugir”, afirma Érica Oliveira, filha do pintor.

“Ficamos mais de 1h esperando a Polícia Técnica para fazer a perícia, e ele (o motorista) foi trocado várias vezes de viatura. Não sei qual é a influência dele com a polícia. Meu pai era trabalhar e um cidadão honesto. Ele foi conduzido para o Ciosp, e quando fomos lá ele já estava solto”, completou.

Amigos no velório do pintor Manoelzinho. Fotos: Olho de Boto

Vítima teve hemorragia interna e morreu no HE

Motocicleta conduzida por Manoelzinho

Manoelzinho teve hemorragia interna. Amigos foram até a casa da família para prestar as últimas homenagens ao pintor que era bastante querido na comunidade, e considerado um exemplo como trabalhador.

“Ele representava muito pra gente aqui nos Congós. Estava sempre com a gente. O empresário deixou uma família sem pai. Vamos arrumar um advogado e procurar o Ministério Público. Não é porque ele tem dinheiro que a gente fica a mercê”, protestou o líder comunitário Munjoca.

Capitão Santos, do BPTran: motorista não foi beneficiado

O Batalhão de Trânsito da PM foi ouvido nesta segunda-feira pelo portal SELESNAFES.COM. Segundo o capitão Santos, o teste de alcoolemia de Carivaldo Pereira de Farias, de 50 anos, deu negativo.  De acordo com ele, o teste foi feito de imediato pelo BPTran, e o mesmo resultado se repetiu no segundo teste.

O oficial negou que o motorista tenha sido beneficiado pelos policiais, e disse ainda ser cedo para confirmar quem foi o causador do acidente. Capitão Santos ainda disse que a demora do motorista dentro das viaturas se deu pelo fato de ser necessária a chegada de outras equipes na ocorrência, como a própria Polícia Técnica.

O portal SN ainda não conseguiu contato com o motorista Carivaldo Farias. 

Compartilhamentos