Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Um casal foi preso na tarde desta terça-feira (4) pela Polícia Federal quando saia de uma agência dos Correios. Eles tinham apanhado uma correspondência na agência que continha mais de R$ 3,1 mil em notas falsas, e cartelas de LSD.

O casal já tinha sendo monitorado pela PF, com apoio do Ministério Público do Estado. A suspeita é de que eles estavam trabalhando para um detento do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) identificado como “Pedrinho”.

À tarde, quando o casal estava saindo da Agência Central dos Correios, no Centro Comercial da capital, a PF fez a interceptação. No total, além do dinheiro, eles tinham 21 cartelas de LSD.

A defesa diz que o casal não sabia que se tratava de produtos ilícitos.

“A substância não era deles. Ligaram para eles dizendo que não era nada ilícito, e que era para eles buscarem nos Correios, e na saída foram interceptados num flagrante preparado. Eles só prestavam favores para ele (detento), sem saber que ele estava dentro do Iapen”, alegou o advogado Hugo Silva, que representa os acusados.

Os dois, que não tiveram os nomes divulgados, foram encaminhados para a sede da PF onde prestaram depoimento e passaram a noite. Nesta quarta-feira (5), eles serão encaminhados para audiência de custódia.

De acordo com a PF, as notas foram remetidas de Minas Gerais, e a correspondência estava endereçada à sogra da mulher presa. Ela tem 22 anos. O homem tem 37 anos. Eles foram indicados por moeda falsa e trafico de drogas.

Compartilhamentos