Compartilhamentos

SELES NAFES

Os vereadores de Itaubal do Piririm, cidade a 112 quilômetros de Macapá, prometem discutir a partir desta segunda-feira (24) a criação de uma CPI para investigar denúncias contra o prefeito Vitor Hugo (PMDB). Ele é acusado por um ex-motorista da prefeitura de fazer saques de dinheiro público e dividir parte do recurso com seu secretário de Finanças.

O prefeito já vinha enfrentando uma comissão processante desde abril deste ano. No entanto, na última sexta-feira (21), os vereadores receberam a denúncia do ex-motorista do prefeito, Paulo Sérgio Flor de Souza.

“Segundo o motorista, o prefeito e o secretário sacavam dinheiro da prefeitura no Banco do Brasil, e em seguida o secretário tirava uma parte. Depois pedia para ele (o motorista) depositar numa conta no banco Itaú”, afirma o presidente da Câmara de Itaubal, Jaison Picanço (PMB).

Ao todo seriam três depósitos na conta do secretário Adielson Viegas, sendo dois de R$ 7 mil e um de R$ 8 mil. Eles teriam ocorrido entre os dias 22 de maio e 10 de julho.

O dinheiro público também teria financiado a construção de um galpão no terreno do pai do secretário de Finanças.

“Destaco que o secretário Adielson Viegas não possui nenhum negócio comercial tampouco é empresário para movimentar esse volumoso recurso financeiro, ficando comprovado que esses valores foram sacados da conta da prefeitura para enriquecimento próprio”, atesta o ex-motorista na denúncia entregue à Câmara de Vereadores de Itaubal.

Um dos comprovantes de depósito apresentados pelo ex-motorista na denúncia. Foto: Reprodução

Denúncia entregue na sexta-feira (21)

A denúncia foi protocolada com os comprovantes dos depósitos, e com cópias de notas fiscais de materiais de construção e combustíveis. 

portal SN não conseguiu contato com o prefeito Vitor Hugo, mas localizou o secretário de Finanças. Segundo ele, o denunciante ocupava o cargo de diretor de Transportes da prefeitura.

“Ele foi demitido por roubo. Esses depósitos realmente são meus. Tenho movimentações particulares, pois sou empreendedor. Minha empresa trabalha com calçados, confecções e perfumarias de Goiás. Ele está bastante chateado com o que ocorreu (demissão), e até preferimos nem divulgar porque ele saiu do grupo político do prefeito”, comentou o secretário Adielson Viegas. 

O vereador Jaison Picanço articula as assinaturas necessárias para submeter ao plenário o requerimento de criação de uma CPI para investigar o caso. Como Itaubal possui apenas 9 vereadores, serão necessárias apenas 3 assinaturas para abrir a CPI.

 

Compartilhamentos