Compartilhamentos

De Oiapoque, HUMBERTO BAÍA

Em Caiena, na Guiana Francesa, depois de muita luta, o jornalista Frantz Montoban, editor-chefe da France Télévisions, conseguiu trazer para a América do Sul a Union Internationale de la Press Francophone (UPF). Trata-se de uma organização criada em 1950 por jornalistas da França e do Canadá com objetivo de unir todos os jornalistas que falam a língua francesa entorno do globo.

A entidade é atualmente reconhecida pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Organização internacional da francofonia (OIF), Repórteres Sem Fronteiras, dentre outras.

Representantes da UPF em encontro na Guiana Francesa. Fotos: divulgação

Organização conta com mais de 3 mil jornalistas associados

Mais de 3 mil jornalistas de países francófonos são membros da UPF. O  objetivo é fortalecer a imprensa na Amazônia e América latina, defender a liberdade de expressão, criar uma grande rede de informação e promover a língua francesa. A associação pretende também organizar e promover seminários, formação e conferências públicas para os sócios.

O jornalista Frantz Montoban ficará por três anos à frente da instituição, junto com outros sete jornalistas na diretoria.

“A Union Internationale de la Presse Francophone é a mais importante associação de jornalistas no mundo francófono. Nossa tarefa agora é fazer novos membros e não poderíamos deixar os colegas do Brasil e Suriname que falam a língua francesa, além da língua materna, de fora deste projeto”, diz Montoban.

Frantz Montoban: UPF preparará evento em Macapá

Países como Togo, Bélgica, Camarões, Haiti, Ilhas Mauricio, Senegal, Madagascar, Canadá e diferentes departamentos da Franca são membros da  UPF. Vários jornalistas de diferentes  mídias em Caiena também já estão filiados na associação:  Guyane 1ère Télé et Radio, Lekotidien, Guyaweb, ATV Guyane, Radio Péyi, Kourou Télévision, France-Guyane, Une Saison en Guyane; além dos correspondentes de jornais e agências nacionais AFP, Le Monde, REeuters e Anima.

Em Macapá

Frantz Montoban irá a Macapá para um seminário onde fará o convite aos  jornalistas do Amapá para integrar a associação. 

“Eu gostaria encontrar pessoas que praticam, gostam e querem aprender a língua francesa. Além de nos conhecermos melhor como vizinhos. O objetivo também é fortalecer ainda mais os laços entre o Brasil e a França através dos povos da Guiana Francesa e o Amapá. A inauguração recente da ponte binacional deve promover um melhor intercâmbio”, diz  o jornalista.

Da esquerda para direita : Franck Leconte (Secrétaire général adjoint – Guyane 1ère  radio / Reuters), Ayodélé Germa (Secrétaire générale – ATV Guyane), Catherine Vulpillat (2ème vice-présidente – France Guyane / TV Magazine), Frantz Montoban (Président – Guyane 1ère  télé – Amina) Mathilde Romagnan (1ère vice-présidente – Radio Péyi), Nikerson Perdius (Trésorier n-ñ Guyane 1ère radio), Nicolas Mézil (Trésorier adjoint – Radio Péyi). (Photo Jody Amiet-AFP)

Frantz Montoban

Montoban já esteve a frente do Clube da Imprensa de Caiena, onde atualmente é presidente honra . Ele também  já esteve várias vezes em Macapá, quando começou o intercâmbio com a impressa amapaense juntamente com o presidente do Sindicato dos Jornalistas do Amapá, Gilberto Ubaiara Rodrigues, atualmente secretário do Comunicação do governo do Amapá.

De acordo com o jornalista guianense, com a Union de la Presse Francophone no departamento francês, outras portas serão abertas para jornalistas amapaenses, que poderão aproveitar a força de uma rede importante de mais de 3 mil jornalistas presentes em vários continentes.

Compartilhamentos