Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um homem foi preso depois de confessar que matou a própria esposa grávida. O homicídio ocorreu durante uma discussão na residência do casal, no polo agrícola da Rodovia AP-440, numa comunidade chamada Vila Vitória, próximo da Linha D, zona oeste de Macapá.

Inicialmente, Valdez Brito da Costa, de 23 anos, chamou a Polícia Militar, por volta das 21h deste sábado (8), afirmando que a esposa, Maiara Silva da Silva, de 29 anos (foto em destaque), havia cometido suicídio.

Quando os policiais chegaram a casa, eles encontraram o marido ao lado do corpo da vítima, que tinha uma corda enrolada no pescoço. Ele chorava bastante, e alegou que já encontrou a esposa morta, e que ela havia tirado a própria vida.  

Diante das evidências, marido foi conduzido para a delegacia e confessou o crime. Fotos: Olho de Boto

No entanto, os policiais do Batalhão de Rádio Patrulhamento Motorizado (BRPM) desconfiaram dos sinais de violência no rosto da esposa. Também havia cabelos dela numa parede do quarto do casal.

O BRPM conduziu o marido para a Delegacia de Crimes Contra a Mulher (DCMM), onde ele confessou o homicídio durante depoimento à delegada Lívia Valente, que não quis gravar entrevista.

No entanto, Valdez Brito conversou com o portal SELESNAFES.COM.

 “Eu tava muito doido e matei ela. Botei um fio no pescoço dela e puxei pra trás, ela caiu e morreu. Não voltou mais”, lembrou.

“Eu tava muito doido”

Valdez Brito admitiu que havia bebido antes do crime, e disse que mentiu para a polícia porque ainda estava atordoado.

“Ela me empurrou, eu tava muito doido também”, acrescentou, sem explicar o motivo da discussão. OUÇA

A família da vítima informou que o casal estava há pouco tempo junto, cerca de 5 meses, quase o mesmo tempo de gestação de Maiara Silva, apesar de o esposo afirmar que eram 3 meses.

“De vez em quando eles iam para a nossa casa, e quando eles estavam bebendo eles brigavam. Não sei o motivo deles brigarem, mas acredito que seja por ciúmes”, comentou um irmão da vítima.

Parentes aguardam em frente a Delegacia de Crimes Contra a Mulher

Vizinhos informaram para família de Maiara Silva que o casal começou a brigar cedo no sábado, ainda no período da tarde.

Quando os primeiros parentes chegaram ao imóvel após a morte, Valdez Brito chegou a dizer que a casa havia sido invadida, e que alguém teria matado a esposa dele. Para a PM, a versão foi de suicídio.

“Tinha um maço do cabelo dela estava na parede, o rosto estava machucado. Eu só sei que ela lutou com ele. (…) O curioso é que depois ele ficou no local, chorando em cima dela”, concluiu o irmão.

A Polícia Civil aguarda o laudo da perícia para definir a causa da morte. O acusado foi indiciado  pelo crime de homicídio e será encaminhado para a audiência de custódia.

Compartilhamentos