Compartilhamentos

LEONARDO MELO

A Polícia Civil do Amapá fez a terceira apreensão de drogas sintéticas em menos 3 dias na capital, Macapá. Desta vez, a Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE) apreendeu 254 pílulas de ecstase. O produto seria vendido em festa rave, de acordo com a polícia.

Os agentes prenderam em flagrante Robson Ferreira Sales Júnior, de 26 anos, que estava vendendo o produto em casa, na Rua Hamilton Silva, no Bairro Jesus de Nazaré, por volta da 1h. Segundo a DTE, o acusado já estava sendo monitorado.

“Havia um grande movimento de carros na casa dele. Montamos uma campana próxima da casa, e numa tentativa dele de vender foi abordado e foram encontradas com ele 20 pílulas de ecstase. Fomos a casa dele e encontramos mais drogas e pulseiras de festa rave”, comentou o delegado Sidney Leite, titular da DTE.

Drogas e pulseiras de festas. Fotos: Leonardo Melo

De acordo com o delegado, ele atendia encomendas pelo Whatsapp e por telefone. Robson Júnior tem uma esposa, que está grávida, e não possuía passagem pela polícia.

“Esses jovens estão fazendo essa atividade pensando que não vai acontecer nada, mas eles podem ir morar no Iapen. Essas drogas podem matar, e isso já aconteceu”, alertou Leite, referindo-se a um jovem que morreu numa festa rave no mês passado. 

O delegado afirma que as drogas sintéticas têm chegado pelos Correios, e assegura que a polícia não dará trégua no combate ao tráfico.

Robson Júnior ainda não tinha passagem pela polícia. Fotos: Leonardo Melo

Delegado Sidney Leite, ecstase e pulseira de festa: jovens vendem achando que nada vai acontecer

Na sexta-feira (30), a DTE apreendeu ecstase e MD. No sábado (1º), foram apreendidos ecstases e anabolizantes. Contudo, o acusado acabou sendo liberado porque a Polícia Técnica do Amapá (Politec) não emitiu o laudo atestando que o produto era mesmo entorpecente.

“Já comunicamos à Delegacia Geral de Polícia para saber porque a Politec não emitiu o laudo”, adiantou o delegado.

Compartilhamentos