Compartilhamentos

JÚLIO MIRAGAIA

O enfermeiro Dorinaldo Malafaia foi nomeado coordenador da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS), órgão formado a partir da fusão da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (CVS) e do Laboratório Central de Saúde Pública do Amapá (Lacen).

Malafaia tomou posse na última sexta-feira (21) e tem a tarefa de coordenar a fusão dos dois órgãos, que tem o prazo de até 180 dias para consolidação.

A chegada de Malafaia na SVS responde duas situações. A primeira de caráter técnico e a segunda de realinhamento político do partido que é filiado, o PCdoB, que se desloca da base de sustentação do prefeito Clécio Luís (REDE) e passa a ser base do governo Waldez (PDT).

Do ponto de vista técnico, segundo Malafaia, a política de endemias passa a ser uma prioridade do Estado. O novo superintendente explica que a desconexão entre os antigos órgãos e a dependência com a Secretaria de Saúde (Sesa) eram fatores que limitavam o acesso a recursos que poderiam ser transformados em políticas públicas e salvar vidas.

“Ao contrário de ser um custo, é uma descentralização que dará uma dinâmica maior de atendimento direto na prevenção de endemias” explicou.

Do ponto de vista político, Dorinaldo Malafaia explicou que o realinhamento após o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Roussef entre partidos como PT, PCdoB e PDT, permitiu a reaproximação dos comunistas com a gestão de Waldez Góes.

“Segue uma lógica nacional e que também tem um condicionante no Estado do Amapá, que tem a ver com não emblocar com o projeto do DEM”, justifica.

Foto de capa: Elmano Pantoja (Secom)

Compartilhamentos