Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Uma denúncia anônima levou equipes do Ministério Público do Amapá e da Polícia Federal a apreender uma adolescente que havia acabado de desembarcar no Aeroporto Internacional Alberto Alcolumbre, em Macapá. Na bagagem, a menor tinha 16 quilos de “skank”.

Skank é uma maconha produzida em laboratório, e uma das mais caras em circulação. A operação foi realizada na noite de sábado (5) por policiais do Núcleo de Inteligência do MP (Nimp) e da Divisão de Repressão a Entorpecentes (DRE) da PF.

Táxi foi abordado a 300 metros do terminal de passageiros. Fotos: PF

A adolescente, que chegou num voo procedente de Campo Grande (MS), já estava dentro de um táxi quando o veículo foi abordado pelas equipes na Rua Hildemar Maia com a Avenida José Tupinambá, no Bairro Santa Rita, a menos de 300 metros do terminal de passageiros.

A menor e o taxista foram encaminhados para a sede da PF.

“O sucesso dessa operação reflete a importância do apoio que estamos recebendo da comunidade nessa guerra diária contra o tráfico de drogas. Sabemos que não é fácil e existe um verdadeiro exército aliciado pelo crime. No entanto, nada pode ser mais poderoso que a união da comunidade nessa luta. Pedimos sempre que nos ajudem e denunciem. Qualquer informação pode ser útil e será devidamente apurada”, manifestou a coordenadora do Nimp, promotora de Justiça Andrea Guedes.

Compartilhamentos