Alunos de escola tradicional improvisam ventilação em sala de aula

Fundado nos anos 1950, antigo GM nunca foi climatizado
Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Uma foto divulgada no Facebook por um professor mostra a realidade de alunos da escola estadual Antônio Cordeiro Pontes (Antigo GM), no Centro de Macapá. A imagem é de ventiladores no chão e em cima de mesas na sala de aula para amenizar o calor. A direção da escola confirmou a situação.

Os mais de 1,3 mil alunos do ensino fundamental e médio usam ventiladores nas 16 salas de aula. A escola tem 66 anos de criação e nunca foi climatizada. Construída em 1950, o espaço tem paredes grossas e pisos desgastados.

“Outro dia estava um calor infernal na sala. A professora até pegou outro ventilador. No final da manhã, perto de 11h, é o pior horário pra gente”, disse a aluna Beatriz Silva.

Ventiladores de teto não suprem a necessidade. Fotos: Cássia Lima

Salas da administração também estão sem climatização

A escola, apesar de antiga, é bem cuidada com a pintura em dia e sem nenhuma pichação, mas o calor é o grande empecilho para estudantes e professores. Até as salas administrativas da escola usam ventilador de forma improvisada.

“Agora no verão é pior. Fica muito abafado e um calor insuportável. Os estudantes da tarde vivem se abanando e a gente não pode fazer nada”, contou uma professora que preferiu não se identificar.

Escola foi fundada nos anos 1950

De acordo com o diretor da escola, Francisco Assis, os recursos de manutenção estão em dia, mas a verba é pouca para reestruturar a climatização da escola. Além disso, a reforma e ampliação iniciada em 2012 pelo governo do Estado foi suspensa em 2014.

A escola que não tem previsão de melhoras está em processo de tombamento pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.