Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

A Casa de Apoio em Belém, Pará, que hospeda os pacientes amapaenses em Tratamento Fora de Domicilio (TFD), se posicionou sobre o caso dos quatro pacientes que ficaram mais de 12 horas no aeroporto de Val de Cans, esperando a agência de viagens finalizar a compra das passagens.

O fato ocorreu na última segunda-feira (31). O advogado da Casa de Apoio garantiu que a empresa nada teve a ver com a situação.

Ivaldo Pimentel explicou que a ordem para deixar o local não partiu da administração da Casa de Apoio, e sim do TFD. Ele explicou que os pacientes após receberem alta do médico, procuram a equipe do TFD na cidade. Depois disso, o próprio paciente é quem comunica sua partida para a Casa enquanto a equipe do programa providencia as passagens.

Agência teria pedido que pacientes aguardassem no aeroporto. Fotos: Casa de Apoio de Belém

“Me informaram que eles iriam viajar às 9h e foram para o aeroporto. Quando apresentaram a identidade não tinha passagem. Eles ligaram para a agência e a própria agência pediu que eles aguardassem no aeroporto”, explicou o advogado.

Ele reforçou que a Casa de Apoio não interfere no trâmite de alta e não tira ninguém do local para dar vaga a outros, como disse o advogado da AP Turismo.

A Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) informou por meio de nota que vai notificar a Agência responsável pela compra das passagens por ter emitido os bilhetes sem efetuar o pagamento das passagens no horário previsto, impossibilitando o embarque dos pacientes.

Compartilhamentos