Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Na tarde desta segunda-feira (21), um grupo de observadores se reuniu em frente à sede do Clube de Astronomia do Amapá (Mirzam) para acompanhar o eclipse solar. O fenômeno iniciou às 16h30min e quem quem foi para o local pôde presenciar uma boa parte do sol sendo encoberta pela lua.

Para ser mais preciso, 41% do sol foi coberto pela sombra da lua nesta tarde, como explicou o membro do clube Victor Monteiro, de 22 anos. É o segundo eclipse que ele presencia.

“O primeiro foi há dois anos, mas não com a mesma intensidade. Naquela oportunidade, presenciei a lua cobrindo apenas 15% do sol”, explicou o estudante.

Júlia Bittencourt: primeira vez que participa de uma observação. Fotos: André Silva

Jovens de uma escola no centro participaram da mobilização

Monteiro informou ainda que por causa da localização da Terra em relação a lua e ao sol, o eclipse não é visualizado completamente no Amapá, como o que pôde ser visto pelas pessoas nos Estados Unidos, que está bem mais ao Norte.

“É como se a lua estivesse um pouquinho mais acima do plano entre o sol e a Terra”, disse Monteiro.

Victor Monteiro: localização da Terra em relação a lua impede que fenômeno seja total em todo o planeta

Foi a primeira vez que Júlia Bittencourt, de 19 anos, parou para observar o fenômeno. Ela descreveu a sensação como única.

“Muito legal! Eu não sabia que cobria tanto o sol. Foi demais”, disse eufórica.

Ápice da observação. Foto: Mirzam

Observação no centro da cidade mobilizou jovens

O fenômeno é o mais aguardado pelos cientistas. Eles aproveitam o evento para atualizar informações como desvio gravitacional, reposicionamento dos astros, entre outras.

Compartilhamentos