Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A semana passada foi marcada pelo retorno de um dos campeões de audiência da televisão amapaense, o delegado, deputado e agora secretário de Segurança do Estado, Ericláudio Alencar. 

Apesar da intensa agenda na Sejusp, ele decidiu que era o momento de retornar à telinha, desta vez no SBT, canal 13. O jeito de apresentar continua sendo o mesmo, com bom humor e cobranças do poder público.

O novo programa, que tem um conteúdo editorial diferente, está sendo produzido pela Meio Mundo Produções, e vai ao ar de segunda à sexta-feira, das 13h às 14h. O portal SELESNAFES.COM conversou com o apresentador. 

Qual é o objetivo do programa?

Apresentei um programa policial, o Rota 16, durante 5 anos. Mas fui assumir outra função. Mas depois de receber um convite do SBT eu vi que era a hora de voltar. O objetivo é mostrar outros assuntos, além do policial. Será um programa mais comunitário, onde daremos um enfoque muito grande para a solidariedade.

Ericláudio ao vivo no cenário do programa, estúdio do SBT

Qual o nome do programa?

Cidade em Ação. O Ney (Pantaleão, jornalista e repórter do programa) fez uma pesquisa para termos um nome. Eu gosto muito da palavra “ação”.

Como foi esse tempo longe da TV?

As pessoas sempre me encontravam e me perguntavam porque eu estava fora e quando eu ia voltar. Estamos reencontrando o meu público e as pessoas que gostam de mim.

Vai dar administrar os papéis de secretário de Segurança Pública e apresentador de TV?

Eu estudei muito a questão ética. Não é um programa para esconder nada. Isso nem é possível nos dias de hoje por causa das mídias sociais. Sabemos de tudo quase que em tempo real.

A equipe está completa?

Estamos contando com o Ney e a Cris na reportagem, e suporte da produtora Meio Mundo. Aos poucos vamos trabalhando para aperfeiçoar.

Todos os dias ao vivo, de 13h às 14h

Agora falando com o secretário, deu pra recuperar os recursos que o governo federal bloqueou da emenda de bancada para a segurança pública?

Conseguimos liberar somente R$ 47 milhões para as obras estruturantes da segurança pública. O Ministério veio com muitas exigências, mobilizamos a bancada e o governador falou até com o presidente da República. Mas conseguimos inscrever todos os projetos estruturantes (delegacias e quartéis).

Compartilhamentos