Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Policiais na hora e local certos conseguiram evitar um assalto que poderia terminar em latrocínio, na madrugada desta quarta-feira (30), na zona leste de Macapá. Houve troca de tiros e o criminoso acabou morrendo.

O episódio ocorreu no Canal do Jandiá, por volta da 1h. Policiais do Bope haviam iniciado uma operação preventiva na zona leste, passando por bairros como Cidade Nova, Perpétuo Socorro e Canal do Jandiá, onde avistaram um táxi estacionado.

Os policiais desconfiaram do veículo, e ao se aproximar do carro o motorista acendeu a luz interna.

“Isso fez com que os policiais vissem que o passageiro estava armado e tentando agarrar o motorista. Quando não conseguiu (agarrar) passou a fazer disparos contra a equipe”, relatou o capitão Kleber, do Bope.

Cabeção gostava de ostentar nas redes sociais. Foto: Arquivo policial

Houve o revide, e o agressor foi alvejado ainda dentro do carro. O taxista que estava sendo vítima de um assalto, nada sofreu.

“Foi um cenário complicado, felizmente os policiais conseguiram com destreza salvar o trabalhador, e ao mesmo tempo sair da ocorrência de forma íntegra”, acrescentou o oficial.

O criminoso foi levado para o Hospital de Emergência de Macapá pela própria equipe do Bope, mas acabou não resistindo aos ferimentos. Ele foi identificado como Erik de Souza Araújo, o “Cabeção”, de idade não informada.

Com ele os policiais encontraram uma pistola 380 capaz de fazer 20 disparos. Cabeção já tinha passagem pelo Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) por roubo e homicídio.  Ele também gostava de postar em redes sociais fotos onde ostentava armamentos.

Policiais estavam fazendo trabalho preventivo na zona leste quando se depararam com o assalto em andamento. Fotos: Olho de Boto

Mais tarde, o taxista relatou que foi chamado pelo serviço de rádio táxi para apanhar um passageiro no Bairro Santa Rita. O destino era o Canal do Jandiá, mas, chegando ao local, o táxi ficou apenas rodando.

“O taxista passou a ficar extremamente nervoso quando viu que o endereço não existia. O elemento pediu para que o taxista parasse, e foi nesse momento que ele anunciou o roubo. Os policiais estavam no lugar certo, na hora certa”, concluiu o capitão.

Compartilhamentos