Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Uma garota de programa de 32 anos está internada em estado grave no Hospital de Emergência de Macapá, desde o último domingo (27). Ela foi barbaramente espancada, teve ossos do rosto e do antebraço direito quebrados, e ainda por cima teria sido estuprada por cinco homens.

A vítima, que não terá o nome verdadeiro revelado, estava fazendo ponto na Rua Claudomiro de Moraes, no Novo Buritizal, na zona sul de Macapá, quando chegou um carro prata, rebaixado, com cinco homens a bordo.

Eles perguntaram se ela se chamava “Márcia”. Mesmo não sendo a pessoa procurada, ela teria respondido que sim. Em seguida, a vítima foi colocada na marra dentro veículo que partiu em disparada. A cena foi presenciada por outras garotas de programa e por mototaxistas que ainda tentaram impedir o sequestro.

“Tem uma mulher chamada Márcia que rouba lá. Esses caras chegaram num carro rebaixado e prateado. Eles chegaram lá e perguntaram quem era a Márcia. Ela respondeu que sim. Ela é especial, nem fala direito, fugia da gente quando era pequena”, contou em desespero a mãe da vítima, Ruth Martins.

Depois de ser espancada e estuprada, vítima foi deixada de volta no local onde foi sequestrada. Foto: Olho de Boto

Horas depois, a garota de programa foi deixada no mesmo lugar pelos criminosos que fugiram. Muito ferida, especialmente na cabeça, rosto e no braço direito, ela foi levada para o HE onde continua internada numa enfermaria. O rosto está desfigurado.

A mãe disse que foi avisada das agressões e seguiu para o HE para acompanhar a filha, e ficou chocada ao ver a filha naquele estado.

“Eu comecei a orar, pedir a Deus. Passei óleo ungido nela porque fui à igreja ontem. E logo outras pessoas estavam ao meu lado também”, lembrou.

“Colocaram ela dentro do carro, batiam com a coronha da arma na cabeça. Estupraram ela. Depois que fizeram tudo que queriam deixaram ela de volta”. “(…) Eu gostaria de saber se eles não têm mãe, e nem filhas”, disse chorando.

A mãe, Ruth Martins: sofrimento ao ver a filha tão violentada e humilhada: “ela é especial”

Segundo a mãe, a jovem começou a ser prostituir há poucos meses quando o marido ficou paraplégico depois de receber um tiro nas costas. 

Família quer que a polícia procure imagens de câmeras de segurança nas casas da vizinhança para identificar o veículo e os agressores. O carro ainda teria sido perseguido por mototaxistas que teriam quebrado os vidros do veículo durante o sequestro, mas o carro não parou.

Compartilhamentos