Compartilhamentos

SELES NAFES

A petrolífera francesa Total teve rejeitado pela terceira vez o requerimento para obter licenciamento com fins de exploração de bancos de petróleo na Costa do Amapá, onde fica a foz do Rio Amazonas. A presidente nacional do Ibama, Suely Araújo, disse que faltam informações essenciais no projeto apresentado pela empresa.

A principal preocupação é com a existência de um gigantesco banco de corais descoberto no ano passado na região

“A modelagem de dispersão de óleo, por exemplo, não pode deixar qualquer dúvida sobre os possíveis impactos no banco de corais e na biodiversidade marinha de forma mais ampla”, afirma a presidente Suely Araújo, em despacho. 

Suely Araújo também destacou que será necessária uma tratativa internacional para discutir os riscos da perfuração marítima para a Guiana Francesa, Suriname, Guiana e Venezuela, além de arquipélagos caribenhos.

Ela disse que se a empresa não fornecer as informações corretas, o licenciamento será arquivado em definitivo.

“Em face de o Ibama já ter realizado neste processo de licenciamento três reiterações do pedido de complementação do estudo ambiental, caso o empreendedor não atenda os pontos demandados pela equipe técnica mais uma vez, o processo de licenciamento será arquivado”, aviso.

A Total encabeça um consórcio formado pela BP Petrolium e a Petrobrás. Em 2013, o grupo arrematou por mais de R$ 200 milhões cinco blocos para prospecção e posterior produção. A cidade de Macapá foi escolhida como base de operações.

Compartilhamentos