Compartilhamentos

SELES NAFES

O serviço de inteligência do Detran do Amapá investiga uma loja que fabrica placas de motos em Macapá. A empresa estaria dando cobertura na adulteração de veículos roubados. Nesta sexta-feira (4), duas motocicletas desse esquema foram apreendidas e uma pessoa foi presa.

O crime começou a ser esclarecido quando o proprietário de uma motocicleta procurou a direção do Detran para informar que tinha recebido multas em sua casa, no município de Laranjal do Jari, sem nunca ter tirado o veículo da cidade. As multas tinham sido aplicadas em Macapá, uma delas por embriaguez que somou R$ 3 mil.

O condutor da moto havia sido flagrado em uma barreira do Batalhão de Trânsito da PM (BPTran). Apesar da moto estar com as características adulteradas, os policiais não perceberam a fraude. O motociclista foi multado, mas a moto foi liberada.

“Eles já tinham pinado o chassi, que é você refazer o número do chassi. Fica perfeito. Tanto é que essa moto caiu na barreira do BPTran e os policiais tiveram que liberar. Só autuaram ele por embriaguez. Quando a multa chegou no Jari o verdadeiro proprietário disse que a moto dele nunca tinha saído de lá”, explicou o sargento Edivaldo Pascoal, do Serviço de Inteligência do Detran.

Motos estavam na casa do acusado, no Bairro Novo Buritizal. Uma delas ainda não tinha sido adulterada

Com os dados da CNH do condutor parado na barreira do BPTran, após a reclamação do verdadeiro proprietário, o serviço de inteligência chegou ao endereço de Hugo César Dias Amaral, de 25 anos, no Bairro do Buritizal.

Com apoio do Batalhão de Rádio Patrulhamento Motorizado (BRPM), a equipe foi até o imóvel e encontrou o suspeito. Na casa, estavam a moto com placa e chassi de Laranjal do Jari, e outra motocicleta com restrição de roubo, que ainda não havia sido adulterada.

No imóvel foram encontradas ferramentas, lixas, spray de tinta preta, e placas de outras motos também com restrição de roubo. Ao que tudo indica, as motos foram adulteradas dentro do imóvel, onde receberam outras placas.

A polícia e o Detran já sabem onde elas estão sendo fabricadas.

“Estamos monitorando essa empresa. Uma dessas pessoas que tem ligação com a loja de placas até já foi presa por procuração falsa, e outros dois homens também estão sendo investigados”, comentou o sargento. Ele lamentou o fato de a loja ainda não ter sido fechada.

Compartilhamentos