Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Macapá e o Ministério Público Estadual assinaram nesta quinta-feira (24) o Termo de Compromisso e Ajuste de Conduta Ambiental para a implantação da coleta seletiva. Essa será a primeira experiência realizada no município, a meta é implantar o serviço nos bairros mais centrais.

A coleta seletiva consiste na orientação da população em separar os resíduos recicláveis dos demais materiais descartados e em recipientes diferentes. Para orientar melhor a população, educadores ambientais irão promover a conscientização sobre a importância do modelo de coleta e a melhor forma de armazenamento do lixo reciclável e reciclável.

“Essa é uma alternativa sustentável para gerar renda, gerar empregos, não poluir o meio ambiente e ainda trazer uma cultura sustentável. A princípio serão alguns bairros, e logo depois vamos ampliar conforme a demanda”, frisou o prefeito de Macapá, Clécio Luis.

Coleta seletiva ocorrerá nos bairros centrais da cidade. Foto: arquivo/SN

Três vezes por semana o carro coletor de reciclado passa no bairro recolhendo os produtos para serem levados para o Aterro Sanitário, onde serão entregues aos carapirás. O alerta é para a separação adequada do lixo orgânico domiciliar e do inorgânico, ou seja, aquele que pode ser decomposto e o que não pode.

Projeto Piloto

O projeto piloto de coleta seletiva já havia sido implantado em 2013, na capital, mas acabou não seguindo em frente. O atual modelo, assim como o projeto piloto, atende às exigências da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Uma das metas é repassar o lixo seletivo ao carapirás que farão trabalhos artesanais como vassouras de garrafas. Além de garantia de sobrevivência, o material será reciclado.

Foto de capa: reprodução

Compartilhamentos