Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Desde o início do ano letivo, os alunos da Escola Estadual Cecília Pinto, no Bairro do Muca, zona sul de Macapá, estão recebendo aulas de educação física em sala, isso quando ocorre. A quadra utilizada por eles foi afetada num temporal em março, e até agora não recebeu reparos na sua estrutura física. O espaço foi interditado pelo Corpo de Bombeiros e aguarda pela reforma.

O portal SELESNAFES.COM recebeu diversas ligações de alunos que se sentem prejudicados. Eles dizem ter medo de sofrer algum tipo de represália por parte da direção da escola, mas mesmo assim fazem questão de falar.

Sem reparos, quadra não pode ser usada. Fotos: André Silva

Para os estudantes, as aulas em sala têm sido praticamente improdutivas, e que por conta disso até a participação da escola nos jogos escolares foi prejudicada.

“Selecionaram alguns alunos e levaram para participar dos jogos. A gente fica dentro da sala jogando dominó e baralho, isso quando ela leva. Quando não, ficamos um olhando para a cara do outro. A professora fica até sem ter o que falar”, protestou a aluna Bárbara Lima da Silva, de 16 anos.

Alunos relatam que chegam a ficar sem aulas no horário da educação física

Carol Soares, do oitavo ano, disse que às vezes os alunos ficam sem aula.

“Muitas vezes a gente fica sem aula porque a professora divide o ano em atividades na sala de aula e na quadra, então como não tem na quadra a gente escreve textos sobre esportes”, reclamou.

Educação Física em sala de aula é improdutiva,segundo os estudantes

A reportagem tentou ouvir a diretora da escola, mas ela não quis gravar entrevista. A Seed informou que esteve reunida com a direção da instituição para alinhar o calendário e definiu que a intervenção na quadra da escola acontecerá em setembro.

Compartilhamentos