Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A deputada estadual Mira Rocha (PTB) está sendo processada por improbidade administrativa numa ação movida pelo Ministério Público do Estado. Segundo a ação, ele teria sido ressarcida por despesas que na realidade nunca existiram.

Entre agosto de 2011 e março de 2012, a deputada teria apresentado na Assembleia Legislativa contrato de locação e recibos de pagamento de alugueis de um imóvel localizado no município de Santana.

Mira alegava que o prédio era usado para atividades parlamentares, e recebeu por isso cerca de R$ 89,3 mil de verba indenizatória.

Durante as investigações, no entanto, o MP diz ter descoberto que no endereço que consta no contrato mora uma família, e que o imóvel nunca teria sido alugado para o gabinete da parlamentar. A família negou em depoimento que tivesse alugado a residência para a deputada.

O portal SELESNAFES.COM não conseguiu entrar em contato com a deputada.

A ação de improbidade pede a devolução do valor corrigido aos cofres da Alap. 

Compartilhamentos