Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Servidores da Prefeitura de Santana responsáveis pela máquina de arrecadação de impostos decidiram paralisar as atividades nesta quarta-feira (16). Será a primeira greve de servidores na gestão de Ofirney Sadala (PHS), que começou a administrar o município há apenas 8 meses. 

A categoria, formada por 35 profissionais, entre agentes de tributos e auditores fiscais da Secretaria de Finanças, cobra a implementação de um plano de cargos e salários.

A decisão de deflagrar greve por tempo indeterminado foi comunicada ao prefeito na semana passada. A lei de planos de cargos foi aprovada na Câmara de Vereadores de Santana na gestão de Robson Rocha (PR).

“Quando o Ofirney assumiu a prefeitura ele disse que ia cumprir, mas depois disse que era inconstitucional. Passamos dois meses discutindo um novo plano, e em maio terminamos. Contudo, o novo texto nunca foi enviado para a Câmara”, explicou Sílvio Guedes, do comando de greve da categoria.

Os servidores acreditam que a paralisação vai prejudicar a arrecadação num momento em que a prefeitura mais precisa aumentar sua receita própria, que hoje é de aproximadamente R$ 1 milhão, entre taxas de alvarás e ISS.

“Vai reduzir em 50% a arrecadação”, garante Guedes.

A prefeitura de Santana ainda não se pronunciou a respeito do assunto. Os servidores estão se organizando para fazer um protesto nesta quarta-feira em frente ao prédio da prefeitura, no Bairro do Paraíso.

Compartilhamentos