Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

A Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (DECCP) da Polícia Civil tenta há dois anos localizar o suspeito pela morte de Osmar Luiz Marinho Oliveira.

Ele morreu estrangulado com os fios dos punhos de uma rede, por um homem que conheceu em uma boate, na noite de Natal de 2015.

O crime ocorreu no quitinete onde a vítima morava, no Bairro São Lázaro, zona norte de Macapá.

Osmar Luiz Marinho Oliveira foi estrangulado por desconhecido dentro de sua casa. Fotos: arquivo DECCP

Osmar Luiz Marinho Oliveira havia ido para uma festa na boate, no Centro, acompanhado de duas amigas, durante a madrugada. Por volta das 4h, ele decidiu ir embora do local sem as amigas, mas na companhia de um homem que ele havia acabado de conhecer na balada.

Segundo o delegado Anderson Silwan, que investiga o caso, as amigas do rapaz chegaram a alertá-lo sobre o risco que corria, mas ele insistiu em levar para casa o desconhecido.

No outro dia, a Polícia Civil foi acionada e o corpo da vítima foi encontrado dentro do pequeno apartamento. Foram subtraídos do local vários objetos como televisor, celular e roupas.

O criminoso conseguiu empreender fuga do local sem testemunhas, o que tem dificultado o trabalho da Polícia Civil em localizá-lo. Um retrato falado foi feito com base nas informações das amigas da vítima.

A DECCP pede que qualquer informação que leve até o suspeito deva ser repassada através do número 2101-2315. A polícia também divulgou o WhatApp do disque denúncia: 187 3730 1936.

Compartilhamentos