Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Depois de internos postarem fotos nas redes sociais fazendo verdadeiras festas dentro do Iapen com consumo de bebidas artesanais, a Polícia Civil passou a investigar as ações dos grupos criminosos que conseguem furar a fiscalização do presídio e utilizar telefones para acessar redes sociais e aplicar golpes.

Chamou atenção da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), em ação realizada nesta quinta-feira (18), que recolheu novos aparelhos das celas, o fato de os bandidos estarem utilizando programas de edição para alterar o fundo dos locais onde estão, para que a real localização dos indivíduos seja escondida. 

Foto original, dentro da cela…

… e publicação no Facebook. Fotos: reprodução

Segundo o delegado Anderson Silwan, o “disfarce virtual” é uma ferramenta dos presos que os ajuda em possíveis golpes e execuções de crimes.

“Chegou ao nosso conhecimento que alguns presos do regime fechado estariam em posse de alguns telefones e usando pra acessar a internet, redes sociais e outras práticas, algumas ilegais. Chamou muito a nossa atenção o fato dos internos estarem inclusive editando as fotografias no celulares”, explicou o delegado.

Outra foto dentro do Iapen…

… editada e simulando que os presos estão em outro local

A DCCP, junto com a administração do Iapen, conseguiu durante a operação, localizar vários aparelhos e objetos que são proibidos no interior das celas. Os internos flagrados em posse dos telefones irão responder por receptação.

O delegado relembra ainda que a população deve ficar atenta contra possíveis golpes praticados, a exemplo do caso do falso médico, descoberto em fevereiro deste ano, que na verdade era um detento que extorquia mulheres.

Operação da DCCP com o Iapen apreendeu vários materiais proibidos dentro das celas

Armas brancas que estavam escondidas

“Devido esses casos, a gente alerta que a população desconfie desses anúncios muito atrativos na internet a usar de forma cautelosa as redes sociais, em especial em expor a vida particular e adicionar pessoas desconhecidas”, finalizou.

Polícia Civil participou de operação conjunta no Iapen na quinta

Compartilhamentos