Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Os moradores do Conjunto Habitacional Mucajá, no Bairro Beirol, zona sul de Macapá, estão denunciado roubos de antenas de internet. Só esta semana, cinco foram levadas.

O morador Junior Valente conta que as pessoas estão registrando boletim de ocorrência e mesmo assim estão sendo obrigadas a pagar para a empresa a instalação de um novo aparelho.

“Eles estão cobrando R$ 200 pela reinstalação. A gente desconfia que sejam pessoas de fora do conjunto”, disse Valente.

Além dele, outro morador que não quis se identificar, disse que o fato já tem ocorrido outras vezes. Diferente do vizinho, ele desconfia de pessoas do conjunto.

“Já é a segunda vez que levam a minha. O prejuízo é todo nosso. A gente pergunta e ninguém sabe e ninguém vê nada”, protestou o morador.

Mercado de internet clandestina

O coordenador de infraestrutura da empresa Você Telecom, Paulo Leal, explicou que esse tipo de crime vem se tornando recorrente. Além do Mucajá, já foram registrados furtos no Bairro Marabaixo e Macapaba, mas o problema não se restringe apenas na capital, o crime já ocorreu no município de Calçoene, onde uma pessoa foi presa.

Leal disse que existe um mercado paralelo de provedor de internet  no Amapá e que essas antenas estão sendo vendidas aos criminosos que oferecem o serviço. Alguns desses provedores piratas já foram identificados em bairros de Macapá e Santana.

“Geralmente esses provedores são clandestinos. Não têm licença e a qualquer momento podem deixar as pessoas que eles atendem sem internet”, explicou.

Para as pessoas que preferem usar esse tipo de serviço, ele adianta que por se tratar de um serviço clandestino, a Anatel pode chegar a qualquer momento e lacrar o lugar e o serviço ser retirado do ar.

“O cliente precisa buscar o histórico da empresa pra saber se ela é legalizada e tem licença para funcionar”, orientou Paulo Leal.

Compartilhamentos