Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O pleno do Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap) decidiu nesta quarta-feira (9) anular a eleição da mesa diretora da Assembleia Legislativa, atendendo mandado de segurança impetrado pelo ex-presidente da casa, Jaci Amanajás (PV).

Na eleição, ocorrida em fevereiro, o objetivo era compor as vagas não preenchidas durante a guerra de liminares pela direção da Alap. Na época, foram eleitos: Roseli Matos (DEM), vice-presidente; Max da AABB (Solidariedade), 2º vice; Ednar Auzier (PROS), 1ª secretária; Pastor Oliveira (PRB), 2º secretário; e Mira Rocha (PTB), 3ª secretária, além de Raimunda Beirão (PSDB), 4ª secretária.

Jaci Amanajás ingressou com o mandado de segurança em fevereiro, depois que ter sido destituído da mesa diretora em outra decisão judicial que atendeu ação movida por Kaká Barbosa (PT do B), que continua como presidente da Alap, agora sozinho na mesa diretora.

O presidente terá que convocar uma nova eleição. A Alap ainda não foi notificada oficialmente sobre a decisão e não se posicionou. 

Compartilhamentos