Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Dois moradores de rua foram detidos na manhã deste domingo (13) dentro da Agência de Fomento do Amapá (Afap), no Centro Comercial de Macapá. Eles invadiram o prédio para furtar.

A PM foi informada sobre a invasão pelo vigilante que estava de plantão. Ele ouviu barulhos no interior do prédio e ligou para o 190.

Quando as equipes chegaram ao local, por volta das 5h30min, um dos criminosos estava tentando pular uma janela para fugir, mas voltou ao ver os policiais.

Os PMs então iniciaram uma varredura pelo local, e depois de 1h30min de buscas encontraram os dois criminosos escondidos em uma das salas. Eles não estavam armados, e se renderam sem resistência.

Criminosos escalaram uma das laterais do prédio. Fotos: Olho de Boto

Os dois foram identificados como moradores de rua e já tinham sido presos outras vezes

A PM acredita que os dois tenham escalado a lateral do prédio e acessado o interior da agência pela passagem do ar condicionado.

“São moradores de rua. Já foram presos várias vezes por guarnições do batalhão. (…) Dentro da agência existem equipamentos eletrônicos e isso talvez tenha chamado a atenção deles”, observou o tenente Josiagab, do 6º BPM, lembrando que não existem valores em dinheiro no local por se tratar de um banco de fomento.

Tenente Josiagab: É um problema social

Centro Comercial de Macapá virou alvo de usuários que moram nas ruas

Os furtos envolvendo moradores de rua que são usuários de drogas têm aumentado no Centro Comercial de Macapá.

No início da manhã do sábado (12), usuários de drogas que moram em pequenas cracolândias ao redor do Centro Comercial furtaram e danificaram o Palácio dos Esportes, uma das lojas mais tradicionais da Alameda Serrano.  

“É um problema social. A PM faz as rondas na tentativa de inibir”, frisou o tenente.

Os dois invasores foram identificados como Manoel Monteiro de Brito, de 48 anos, e um menor de 17 anos. Os dois foram levados para o Ciosp do Pacoval, e apresentados por tentativa de furto. Em breve deverão estar soltos novamente.

Compartilhamentos