Compartilhamentos

SELES NAFES

A eleição antecipada da mesa diretora da Câmara de Vereadores de Santana foi parar na justiça. Quatro vereadores estão questionando a antecipação do pleito que só deveria ocorrer no fim de 2018, mas que foi realizado na semana passada e já garantiu a permanência da presidente Helena Lima (PRP) no comando da casa até 2021.

A ação foi assinada pelos vereadores Dr Fabiano (PR), Jailson Matos (PR), Vicente Marques (PSDC) e Dr Kátia (PTN). O mandado segurança  pedia uma liminar para suspender o resultado da eleição realizada no último dia 3, cinco dias depois da publicação do edital no Diário Oficial da Prefeitura convocando o processo.

“Não foi formada uma comissão eleitoral, não houve publicidade no portal da Câmara de Vereadores e não existe motivação para renovar a direção da Câmara em apenas três meses de mandato”, avaliou o vereador Dr Fabiano, que tem cargo na atual composição da mesa diretora.

Presidente Helena Lima e Dr Fabiano: adversários na atual mesa diretora. Fotos: Fernando Santos

A justiça, no entanto, negou a liminar, mas deu prazo de 10 dias para que a presidente Helena Lima se manifeste para justificar o embasamento do processo.

“Nós estamos no prazo, e vamos responder por meio de documentação que a eleição foi feita com base no regimento interno. Fizemos na mais absoluta lisura. Isso (a eleição) é uma matéria que é prerrogativa exclusiva da casa”, ressaltou a presidente reeleita.

“Quem está questionando é porque não participou da reunião da mesa diretora onde isso foi tratado. Temos o calendário e a mesa se reúne sempre nas sextas, às 10h. A presidente não precisa de autorização do restante da mesa. Puxei essa eleição (…) e esperei que os outros se articulassem para participar, e pra minha surpresa ninguém se inscreveu”, concluiu. 

Compartilhamentos