Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O governo do Estado, por meio de parcerias com vários órgão, realizou mais de 500 atendimentos para vítimas de escalpelamento. Nesta segunda-feira (28), Dia Nacional de Combate aos Acidentes com Escalpelamento, os atendimentos serão levados para o Distrito de Ipixuna Grande, comunidade ribeirinha do município de Itaubal.

Os atendimentos foram realizados durante dois dias na Universidade Federal do Amapá (Unifap), com o objetivo de prevenir mais acidentes e fornecer assistência à saúde. O escalpelamento ocorre quando o eixo do motor de embarcações puxa os cabelos, arrancando o couro cabeludo, e em alguns casos até as orelhas e sobrancelhas. As meninas são as maiores vítimas.

Médico da Marinha ouve vítima de escalpelamento durante ação de atendimentos. Foto: Secom

Durante os dois dias de atendimentos, houve marcação de consultas, exames laboratoriais, testes rápidos de HIV, sífilis e de hepatite, além de aferição da pressão arterial.

No mês que vem, uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Amapá para discutir o assunto. Participam da ação, a Marinha, Corpo de Bombeiros, Unifap e secretarias de Estado da Saúde (Sesa) e de Educação (Seed).

Hoje, as mulheres vítimas de escalpelamento têm direito a beneficio do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

“Nos casos de impossibilidade de manter ou ter mantido o sustento da família, as vítimas terão o direito de receber o benefício de um salário-mínimo por mês”, explicou Rosinete Serrão, representante da Associação de Mulheres Ribeirinhas Vítimas de Escalpelamento da Amazônia.

Compartilhamentos