Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um adolescente de apenas 14 anos foi executado a tiros no fim da manhã desta sexta-feira (29), no Bairro Cidade Nova, na zona leste de Macapá. A PM fala em acerto de contas, mas uma testemunha informou que o adolescente teria sido morto pelo proprietário de uma bicicleta roubada por ele.

O homicídio ocorreu por volta das 11h. A vítima, Leandro Leal, estava na companhia de outro jovem identificado como Roricleudo Tavares Júnior, de 18 anos. Os dois estavam caminhando pela Rua Santa Cruz quando cruzaram pelo matador.

Jovens baleados são apontados pela comunidade como autores de furtos e roubos no bairro. Fotos: Olho de Boto

Tenente Marcelo Moraes: esse é o caminho que esses jovens escolhem

Ele sacou uma arma e atirou várias vezes, fugindo a pé logo em seguida. A Polícia Militar ainda não identificou o assassino. Roricleudo Júnior foi levado para o Hospital de Emergência com um ferimento à bala.

A PM diz que os dois são conhecidos na comunidade pela prática de furtos e roubos.

“O Leandro Leal e Roricleudo Júnior são conhecidos na comunidade por furtos, roubos a mão armada e consumo de drogas. O Leandro já tinha passagem pelo CIP (Centro de Internação Provisória). Infelizmente esse é o final desses jovens que poderiam focar nos estudos, mas escolhem esse caminho”, lamentou o tenente Marcelo Moraes, do 6º Batalhão da PM.

Policiais passaram o restante da manhã coletando informações e tentando descobrir se alguma câmera de segurança filmou o homicídio ou a passagem do acusado pela rua.

Uma testemunha contou ao portal SELESNAFES.COM que a vítima seria dono de uma bicicleta roubada por um dos rapazes baleado.

 “Ele (atirador) viu o menino e o parceiro dele passando e descarregou o revólver. Um caiu, e outro saiu ferido com um tiro para o hospital. (…) Foram uns 6 ou 7 tiros (…)”, reportou.

A testemunha disse ainda que não chegou a ver o rosto do atirador.

“Assim que deu os tiros ele deu as costas e saiu correndo (…) mas antes ainda disse que era um bandido a menos” , acrescentou a testemunha.

Compartilhamentos