Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Policiais militares deram apoio no cumprimento, na manhã desta segunda-feira (25), ao mandado de reintegração de posse concedido pela Justiça Federal para a Infraero. A área invadida fica no Canal do Jandiá, no Bairro São Lázaro, zona norte de Macapá.

A PM chegou ao local por volta das 5h com mais de 200 policiais. A maioria dos moradores já havia deixado o local depois de ser incluída em programas habitacionais do governo do Estado. Outras esperavam o apoio para fazer a mudança.

“Muitos já tiveram o cadastro aprovado na Caixa Econômica, com intermediação da Secretaria de Mobilização e Inclusão Social (Sims), e isso deu celeridade ao nosso trabalho”, comentou o comandante geral da PM, coronel Rodolfo Pereira, que acompanhou as primeiras horas do cumprimento da ordem de reintegração expedida pelo juiz federal João Bosco Soares, a 2ª Vara Federal de Macapá, após um termo de ajuste de conduta.

Policiais chegaram às 5h. Fotos: Olho de Boto

Policiais do Bope deram apoio

Mas nem todas as famílias estavam satisfeitas. 

“Fiz o cadastro e recadastro e não recebi nenhum apartamento. Moro há 4 anos aqui, tenho dois filhos e não tenho para onde ir”, queixou-se uma moradora.

“Eu tenho três filhas. Vão me dar um aluguel social que sempre atrasa. O juiz mesmo falou que era para fazer o nosso cadastro (…) e agora para onde a gente vai com a nossa família?”, questionou outra moradora.

A Sims informou que uma equipe da secretaria permanecerá no quartel do Corpo de Bombeiros, até o fim desta tarde, para atender as famílias. Ao todo, 52 estão com pendências documentais na Caixa Econômica, que financia os apartamentos e casas. A situação dessas famílias está sendo negociada pela Sims.

Equipe da Sims atende famílias com problemas no cadastro. Foto: Irineu Ribeiro/Secom

Equipes do governo ajudam os últimos moradores

Moradores do Canal do Jandiá chegam ao Macapaba

Outras 56 famílias foram beneficiadas com aluguel social, enquanto 58 não demonstraram interesse pelo Programa Minha Casa, Minha Vida, e nem pelo aluguel social.

Segundo a secretaria, das 310 famílias cadastradas, 144 já estão morando no Macapaba II, entregue pelo governo do Estado em agosto.

 

Compartilhamentos