Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O governador do Amapá, Waldez Góes (PDT), recebeu na noite da segunda-feira (4) defensores gerais da Bahia, Roraima e o presidente da Associação Nacional dos Defensores Públicos, Antônio Maffezoli, além do defensor geral da União, Carlos Paz. Eles querem compartilhar experiências em outros concursos públicos, já que o Amapá está prestes a realizar seu primeiro processo seletivo no setor.

O concurso para defensor público do Amapá terá 30 vagas. O edital deve ser publicado em novembro com salários, taxa de inscrição e datas das provas que serão realizadas em quatro fases divididas entre provas escrita, práticas, oral e a última de títulos.

A comissão organizadora do concurso é formada por representantes da OAB e Ministério Público do Estado, além de procuradores e servidores estaduais.

“Sem dúvida o processo no Amapá será muito bem sucedido, o governo terá nosso apoio e orientação, e poderá acima de tudo se espelhar nos modelos que deram certo e aperfeiçoar ainda mais a aplicação no Estado”, compartilhou o presidente da Associação Nacional de Defensores Públicos, Antônio Maffezoli.

O Amapá será o último Estado a realizar concurso para defensor público.

“Estamos abertos para receber a contribuição de todos os Estados para que tenhamos um grande exemplo não só de concurso, mas de preparação, de implantação dos serviços, de transição e consequentemente de assistência a comunidade”, ressaltou o governador Waldez Góes.  

Compartilhamentos