Compartilhamentos

SELES NAFES

Parte da história da jovem que teria sido deportada da Guiana Francesa com um cachorro e estava dormindo há quase uma semana no Aeroporto de Macapá não passa de uma grande mentira. Flávia Souza, que se identifica como viajante nascida no Rio de Janeiro, na verdade é de Campinas (SP). O portal SELESNAFES.COM conseguiu conversar com o pai da jovem. Ele diz que a filha está com algum transtorno mental.

Davi Souza, o pai, disse que não tinha notícias da filha há mais de 1 ano, e só soube da passagem dela por Macapá após a repercussão da história nas redes sociais.

“Ela está perturbada. Já providenciamos a passagem dela para às 15h15min (desta segunda, 4). Ela está na casa de amigos nossos aí de Macapá que a procuraram assim que soubemos na quinta-feira (31) pelas redes sociais que estava aí”, explicou.

A história que Flávia Souza contou provocou uma mobilização nas redes sociais e gerou uma campanha da ONG de Proteção Animal Costelinha (Upac). Ela estava de fato dormindo no Aeroporto Alberto Alcolumbre na companhia do husky siberiano Balton, de 4 meses, há pelo menos 3 noites.

O que não era verdade era o motivo. Flávia Souza contou ao portal SN, e a outros veículos de comunicação, a mesma história: era do Rio de Janeiro, e depois que ficou desempregada decidiu tentar a vida clandestinamente na Inglaterra, mas acabou sendo descoberta pela polícia francesa dentro de um navio na Guiana.

Postagens de Flávia demonstram desequilíbrio

Em outra postagem, mulher acusa Flávia de assédio

Ela disse que foi deportada para Oiapoque, onde pegou um transporte pirata e veio parar em Macapá, onde estaria pretendendo embarcar de volta do Rio de Janeiro. Como não tinha dinheiro para embarcar o companheiro Balton, ela decidiu dormir no aeroporto e chegou a pedir ajuda ao vereador Victor Hugo (PV). Ele doou roupas e alimentos, e fez uma campanha nas redes sociais para ajudá-la.

“Não sabíamos ainda desse problema (transtorno mental), só percebemos depois da reportagem”, diz o pai da jovem.

“Os pais entraram em contato comigo e contaram a história. Ela está na casa de amigos da família e vai voltar para a residência dela”, relatou o vereador nesta segunda-feira (4).

Balton também deve seguir com a dona para Campinas

Em seu perfil no Facebook, Flávia de Souza se identifica como “Flávia de Windsor”.  Muitas postagens são desconexas, e em alguns momentos ela diz pertencer à Realeza Britânica. No próprio perfil, ela é acusada por várias pessoas de furto e assédio sexual em lugares onde ficou hospedada em outras cidades.

Segundo o pai, a jovem não tem filhos, e é técnica em contabilidade.  

“Não temos tantos recursos. Juntamos toda a família para ajudar a trazer ela de volta para iniciarmos o tratamento dela”, concluiu o pai.

Compartilhamentos