Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

O assaltante ferido numa sessão de linchamento, após uma tentativa frustrada de roubo, morreu na tarde da quarta-feira (27), depois de 21 dias internado em estado grave no Hospital de Emergência de Macapá. Oficialmente é o primeiro caso em que um suspeito de crime morre em função de ferimentos causados por populares, no Amapá.  

Roniel Pantoja, de 18 anos, estava na UTI do HE respirando com a ajuda de aparelhos. Ele foi detido pela população na noite de 6 de setembro, após uma tensa perseguição pelas ruas do Bairro Jardim Marco Zero, na zona sul de Macapá.

O criminoso tentou roubar um estudante em frente a uma faculdade na Rodovia JK. A vítima estava dentro do carro quando foi surpreendida pelo bandido armado. Populares perceberam o que estava ocorrendo e tentaram ajudar o jovem. No meio da confusão, o estudante levou um tiro na perna, e foi socorrido sem gravidade até o Hospital de Emergência.

Delegado adiantou que será aberto um inquérito por homicídio Fotos: Olho de Boto

Roniel Pantoja foi perseguido por populares e chegou a atirar várias vezes. Ele foi alcançado em um posto de gasolina e espancado. Os golpes atingiram principalmente a cabeça e o rosto. Um vídeo, que circulou nas redes sociais, mostra uma parte do espancamento.

O delegado de Roubos, Glemerson Arandes, disse que vai encerrar o inquérito pela tentativa de assalto, mas adiantou que um inquérito por homicídio será aberto. Para ele, houve excesso na tentativa de fazer justiça com as mãos.

“Será apurado como homicídio. No momento em que o bandido está dominado o ideal é chamar as autoridades. Hoje o assaltante cumpre pouco mais de 1 ano e progride de regime. Mas a pena de homicídio é bem mais elevada. Então, não vale a pena fazer justiça com as próprias mãos e pegar uma pena maior do que o próprio delinquente”, ponderou o delegado. 

O assaltante morreu ontem a tarde, e o corpo foi removido pela Polícia Técnica do Amapá (Politec) por volta das 17h. 

Compartilhamentos