Compartilhamentos

SELES NAFES

A decisão já tomada pelo Ministério da Agricultura de conceder ao Amapá o certificado de Estado livre de aftosa abre uma imensa clareira para investimentos no setor pecuário, especialmente impulsionados pelos incentivos da Zona Franca Verde. A avaliação foi feita nesta sexta-feira (15), pelo governador Waldez Góes (PDT), durante o lançamento de mais uma campanha de vacinação contra a febre aftosa.

Cercado de produtores, empresários e fiscais de sanidade animal, Waldez cumpriu a tradição de aplicar a primeira dose da vacina, habilidade que domina desde os tempos em que era técnico extinta Emater.

Produtores acompanham lançamento da campanha. Fotos: Seles Nafes

Só que dessa vez a campanha começou num cenário muito mais promissor, já que o Amapá está há poucas semanas de receber o certificado, graças ao empenho dos produtores e dos fiscais e agentes agropecuários da Diagro. 

“Em 2018, o Brasil deve apresentar à comunidade internacional esses resultados no Amapá e receberemos o certificado internacional, então poderemos trabalhar com exportação de carne. E a produção de alimentos é uma das nossas vocações, e pra fazer isso temos que ter o controle sanitário”, comentou o governador.

Governador entrega certificado a Cristiano Nunes, da Fazenda Bela Vista

Waldez lembrou que, superada a principal barreira sanitária animal, o Amapá agora está bem perto de alcançar condições sanitárias ideais para impulsionar outro segmento: a fruticultura.

“Estamos bem perto de erradicar a mosca da carambola. As frutas regionais têm mercado certo no mundo. E vamos desenvolver o comércio de frutas naturais e processadas. É uma conquista enorme”, acrescentou.

A meta de 2017 e 2018 é vacinar 100% do rebanho, hoje estimado em mais de 300 mil cabeças, para que o Amapá receba o certificado de Estado livre de aftosa sem necessidade de vacinação, isso a partir de 2019.

O lançamento da campanha ocorreu na Fazenda Bela Vista, do empresário Cristiano Nunes, numa das margens do Rio Matapi. No local já funciona uma fábrica de laticínios.

Valorização dos fiscais

Além dos produtores, participaram também da cerimônia os fiscais e agentes de inspeção agropecuária. Eles lutam para que o governo do Estado encaminhe para a Assembleia Legislativa o plano de cargos e carreira da categoria. São mais de 80 servidores concursados pela Diagro.

Fiscais pedem reconhecimento do trabalho com a aprovação do plano de cargos

O plano representa a valorização do nosso serviço. Essa conquista do Amapá se deu em função do trabalho do fiscal, que esteve no campo, que fez os inquéritos soro-epidemiológicos, e que faz o atendimento do produto. Sem esse trabalho não teríamos o avanço”, diz o vice-presidente do Sindicato da Fiscalização Agropecuária (Sinfa), Fábio Romero Maia Cardoso. 

O plano de cargos e carreira foi elaborado e encaminhado para ajustes na Procuradoria Geral do Estado (PGE). Contudo, o governo ainda não anunciou quando irá encaminhar o projeto para a Assembleia Legislativa. 

 

Compartilhamentos