Compartilhamentos

SELES NAFES

O Ministério Público do Amapá explicou nesta sexta-feira (22) o cumprimento de mandados de busca e apreensão na Operação Hipócrates, deflagrada um dia antes em endereços ligados à prefeitura de Itaubal, cidade a 112 quilômetros de Macapá. Compras de combustível sem licitação, passagens aéreas, saques e irregularidades na folha de pagamento, entre outras situações, estão sendo investigadas.

O inquérito é conduzido pela Promotoria de Justiça de Ferreira Gomes, comarca que abrange também o município de Itaubal. A apuração começou a partir de denúncias da Câmara de Vereadores, que também investiga depósitos suspeitos na conta pessoal do secretário de Finanças, Adielson Viegas.

Além disso, o MP teve informações sobre saques de dinheiro em espécie na boca do caixa, com valores entre R$ 50 mil e R$ 60 mil, sem a devida prestação de contas.

Equipe cumprindo mandado na residência do secretário, Adielson Viegas

O prefeito Vitor Hugo (PMDB) é acusado de não prestar esclarecimentos e nem responder a ofícios da Câmara e do próprio Ministério Público. Em várias reuniões com o MP ele chegou a prometer que encaminharia as informações solicitadas, mas isso não ocorreu.

Um dos mandados foi cumprido na casa do secretário de Finanças dele, em Macapá. Segundo o MP, a residência funciona como uma extensão da prefeitura de Itaubal. No imóvel foram encontrados documentos importantes da gestão, que deveriam estar em secretarias e outros departamentos da prefeitura, onde poucos papéis foram localizados pelas equipes

 “Chegamos à Secretaria de Saúde, mas os documentos estavam na casa do Adielson (Viegas). No DRH (departamento de recursos humanos) também não há cópias de portarias, nomeações, folha de pagamento, e nem nos computadores existem muitas informações, diferente do que foi encontrado na residência do Adielson Viegas. Isso denota o que a Câmara já havia dito em março, que a gestão de todas as secretarias é concentrada nas mãos de uma só pessoa”, comentou a promotora de Justiça que conduz as investigações, Neuza Barbosa.

Promotores Luiz Marcos e Neuza Barbosa cumpriram os mandados. Fotos: Seles Nafes

O MP não viu necessidade de solicitar um mandado de busca para a residência do prefeito, que é médico, e pouco aparece no município durante a semana.

O cumprimento do mandado em Macapá, na residência de Viegas, foi conduzido por uma equipe de policiais civis e o promotor de Justiça, Luiz Marcos da Silva.

“Ele (Viegas) abriu a residência e não se opôs, até porque tomaríamos medidas legais. Estava com a esposa e os filhos, e levamos duas testemunhas do povo. Encontramos farto material”, relatou o promotor.  

“Isso tudo comprova que o prefeito não trabalha na prefeitura. Vou mensalmente lá, e a comunidade sempre nos diz que ele não comparece de segunda a sexta como era o esperado, assim como o secretário. A apreensão de toda essa documentação só comprova que tudo funciona aqui em Macapá, na casa do secretário”, acrescentou a promotora.

Os documentos apreendidos passarão agora por perícia. A promotora não descartou a possibilidade de pedir o afastamento do prefeito e do secretário, enquanto correrem as investigações.  

O nome da Operação Hipócrates, considerado o pai da medicina na Grécia Antiga, faz uma alusão um dos pensamentos dele de que a doença, uma vez instalada no corpo, tinha um tempo de incubação e um prazo limite para ser extirpada.

O portal SELESNAFES.COM  está tentando contato com o prefeito e o secretário de Finanças de Itaubal. 

Compartilhamentos