Compartilhamentos

SELES NAFES

A Polícia Militar do Amapá informou nesta sexta-feira (29) que aguarda o término do trabalhado da Corregedoria e do Ministério Público do Estado para definir que punição irá aplicar aos policiais que conduziram o deputado Moisés Souza do local do acidente do dia 29 de agosto. O deputado é acusado de ter violado a prisão domiciliar.

“Os policiais já foram identificados e ouvidos. A PM está colaborando com todas as informações necessárias. Eles terão a oportunidade de ampla defesa, (…) mas se ficar comprovado que houve uma prática ilícita, eles serão punidos criminal e administrativamente”, comentou a tenente Annie, da Divisão de Comunicação Social da PM.

A oficial não soube informar o que os policiais disseram em depoimento na Corregedoria da PM. Trata-se de um soldado e do oficial que estava responsável pela equipe na noite de 29 de agosto, dia do acidente com o carro do deputado na rodovia JK.

“Foi instaurado um inquérito na Corregedoria, que corre concomitantemente com o do MPE. (….) Não sabemos o que eles (os policiais) alegaram, mas isso é com o MP e depois com a Corregedoria”, comentou a oficial.

O Núcleo de Inteligência do MP (Nimp) divulgou nesta sexta um vídeo que mostra o deputado Moisés Souza chegando ao condomínio onde cumpre prisão domiciliar logo após o acidente. As imagens mostram que ele chegando num carro do 1º Batalhão da PM.

O Nimp pediu que o parlamentar volte a cumprir a pena no Iapen, mas, o desembargador João Lages, concluiu que, por conta do foro privilegiado, o caso precisará ser decidido pelo Tribunal de Justiça do Estado (Tjap).

Compartilhamentos