Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

As sessões ordinárias das câmaras de vereadores dos municípios do Amapá vão ocorrer na Câmara de Vereadores de Macapá. A proposta é do projeto Parlamento Forte, e tem a finalidade de aproximar as demandas dos municípios ao governo do estado.

A primeira sessão será no dia 24 de outubro, na Câmara de Vereadores da capital, que organiza a ação. De acordo com o presidente da Casa, Acácio Favacho, a proposta nasceu da dificuldade das outras câmaras em se relacionar com o governo.

“Nós queremos quebrar essa burocracia e morosidade nesses processos. A gente quer diminuir esse distanciamento e debater os assuntos daquele município aqui na capital”, falou Favacho.

Presidente da Câmara de Vereadores de Macapá, Acácio Favacho, e vereador de Laranjal do Jari Manoel Carvalho Fotos: Cássia Lima

Na sessão marcada para a quarta-feira, o debate será com os parlamentares do município de Oiapoque. Para a ocasião, já estão confirmadas as presenças dos 11 vereadores do município, além de secretários e da prefeita oiapoquense.

Apesar da logística, a proposta chamou a atenção dos outros municípios. Nesta sexta-feira, (20), o vereador de Laranjal do Jari Manoel Carvalho (Democratas) buscou diálogo com o presidente da Câmara de Macapá, para se encaixar na segunda sessão na Casa.

“A proposta é que os benefícios cheguem mais rápido à população, queremos muito esse diálogo com o Estado”, disse o vereador.

Compartilhamentos