Compartilhamentos

SELES NAFES

O advogado Auriney Brito, que cuida da defesa do empresário Daciel Alves, um dos presos na Operação “Senhores da Fome”, informou nesta quinta-feira (2) que seu cliente possui provas que irão ajudar a esclarecer os fatos, e que o acusado vai ajudar a identificar os responsáveis por danos aos cofres públicos.

O sócio da Agrocoop se apresentou na manhã desta quarta-feira (1º) na sede da Polícia Federal do Amapá, um dia depois da operação que prendeu mais três sócios dele, acusados de participar de um esquema que desviava dinheiro da merenda escolar do Amapá.

Segundo a força tarefa que investiga o caso e a Seed, 70% dos produtos alimentícios adquiridos não foram entregues pela empresa a partir do pagamento da segunda parcela do contrato de R$ 3 milhões. A Controladoria Geral do Estado (CGE) disse que determinou o cancelamento do contrato há 1 ano, assim que as irregularidades começaram a ser apuradas internamente.

“Ele está muito tranquilo quanto às acusações. Tem provas que ajudarão a esclarecer os fatos e não tem nada a esconder. Vai falar o que a Polícia Federal precisar. O que lhes competia entregar, foi entregue, e se houver algum responsável por dano ao erário, ele ajudar a encontrá-lo”,  disse o advogado.

Auriney Brito disse ainda que o empresário não fugiu assim que começou a operação.

“Ele estava no interior do Estado em missão profissional, e quando soube do ocorrido procurou sua família. A família me procurou e orientei que ele se entregasse imediatamente. (…) Agora tomaremos as medidas necessárias para demonstrar à Justiça a desnecessidade da prisão”, acrescentou.

O advogado informou que ainda não ingressou com nenhum pedido de liberdade para seu cliente, porque está estudando primeiro os fundamentos da decisão que decretou a prisão.

O portal SELESNAFES.COM ainda não conseguiu contato com a defesa dos outros empresários presos. 

Compartilhamentos