Compartilhamentos
  CÁSSIA LIMA
Ambulantes voltaram a protestar em frente a prefeitura de Macapá nesta terça-feira, (14), depois do reordenamento do complexo Beira-Rio, na orla da capital. Eles pedem um sistema de rodízio para atender aqueles empreendedores que não foram cadastrados para permanecer na orla. Os profissionais ameaçam fazer vigília em frente a sede do executivo municipal.
O complexo passa por uma ação de reordenamento desde o início do mês. A primeira ação foi a retirada de cerca de 30 profissionais que, segundo a prefeitura, não se ajustavam na recomendação do Ministério Público Estadual. 
“Nós queremos que seja feito um rodízio para que seja igual pra todos. Não é justo uns trabalhares e outros não. Todos temos contas pra pagar”, reclamou o batateiro Carlos dos Santos.
Até o fim da manhã, ele e mais alguns profissionais permaneciam com carros, equipamentos e até colchões na frente da prefeitura. Os empreendedores afirmam que não vão sair até terem um posicionamento favorável da prefeitura. 

Ambulantes levaram colchões e crianças para a frente da prefeitura prometendo vigília. Fotos: Cássia Lima

Segundo a prefeitura de Macapá, o cadastro dos empreendedores foi amplamente divulgado. Mas nem todos fizeram. Sobre a proposta do rodízio, a prefeitura informou que só vai aceitar o sistema se os empreendedores decidirem fazer o acordo com as recomendações e presença do MP. 
Compartilhamentos