Compartilhamentos

LEONARDO MELO

Não é apenas o “carro preto” que vem colecionando mortes no Amapá. Atiradores do “carro prata” voltaram a fazer vítimas neste fim de ano. Desta vez, o alvo foi um ex-detento conhecido como “Capela”.

Clenilson Bogea, de 35 anos, estava dentro de um veículo parado na Avenida Cabo Maurício, no Bairro do Zerão, na zona sul de Macapá, quando ao lado encostou o carro prata.

Um homem de dentro do veículo fez os disparos e em seguida fugiu. Um dos tiros acertou o abdômen de Clenilson Bogea, que deixou o carro e ficou deitado no chão até a chegada de uma ambulância do Corpo de Bombeiros do Amapá. Ele morreu a dar entrada no Hospital de Emergência.

Capela tinha passagens pelo Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) por tráfico de drogas e roubo qualificado, que é quando o criminoso age com violência durante o assalto.

A Polícia Militar não se pronunciou sobre o caso.

O nome de Clenilson Bogea aparece em uma lista de presos na Operação Connectarie, deflagrada pela Polícia Civil, em 2013, contra o tráfico de drogas. À época, foram presas 28 pessoas, e apreendidos mais de R$ 60 mil em dinheiro e joias.   

“Capela” foi surpreendido dentro do carro

Criminoso morreu ao dar entrada no HE. Fotos: Leonardo Melo

Entre agosto e outubro deste ano vários homicídios foram registrados na capital com características de execução. Os criminosos utilizaram carros prata e preto.

Em outubro, a cúpula da segurança pública do Amapá admitiu que facções de outros estados estavam fazendo uma “limpeza” para assumir o comando do tráfico de drogas no Amapá.

Contudo, nem todas as vítimas eram criminosos ou ex-detentos. Pelo menos dois eram trabalhadores. Os casos estão sendo investigados por uma força-tarefa.

Compartilhamentos