Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Falta de vacinas no estoque e dificuldade em reunir o rebanho para a vacinação estão entre os principais motivos para a prorrogação do prazo para declaração de imunização contra a febre aftosa no Amapá.

Agora, os pecuaristas têm até o dia 1º de dezembro para declarar a imunização do rebanho, segundo a Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária do Estado do Amapá (Diagro).

As dificuldades foram apresentadas pelos criadores que disseram que as chuvas foram muito fortes em algumas regiões, e elas continuam alagadas, daí a dificuldade em reunir o rebanho. Outra questão foi o quantitativo de vacina no mercado que teria deixado alguns sem o produto.

Segundo o diretor da Diagro, Renato Ribeiro, houve um atraso no pedido das vacinas. De acordo com o último levantamento da agência, cerca de 400 mil doses foram comercializadas no estado.

“Houve uma demora na aquisição desses insumos. Não podíamos prejudicar o pecuarista por conta disso. O que foi prorrogado foi a declaração e não a vacinação”, reforçou Ribeiro.

O prazo inicial para entrega das declarações era até 25 deste mês. A meta da agência é imunizar 98% do rebanho este ano. Um relatório preliminar com o número de animais vacinados será divulgado ainda esta semana pela Diagro.

Compartilhamentos