Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Cerca de 200 proprietários de imóveis em situação irregular nos conjuntos São José e Mestre Oscar, em Macapá, foram notificados e terão de explicar na Caixa Econômica Federal no Amapá por que as moradias foram alugadas, vendidas, cedidas ou abandonadas pelos contemplados.

O levantamento de unidades irregulares foi feito por técnicos da Coordenadoria de Habitação da prefeitura. O número maior de apartamentos nessa situação foi identificado no São José, na zona sul de Macapá, com 160 imóveis. Desde 2015, essas vistorias são realizadas pelo Município.

Após a notificação, o proprietário do imóvel é chamado até a coordenadoria para prestar esclarecimento quanto a situação do imóvel.

“Toda vez que a pessoa é notificada, é chamada para falar sobre o que aconteceu. Se acharmos que a denúncia procede, notificamos para a caixa. Ela faz todo o processo de distrato”, explicou a coordenadora Mônica Dias.

Se o proprietário irregular perder o imóvel, um novo beneficiário será escolhido pela Caixa de acordo com o cadastro reserva que foi publicado no site da prefeitura.  

Compartilhamentos