Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A deputada estadual Mira Rocha vai a julgamento nesta quinta-feira (9), em decorrência de ação penal por crimes ocorridos nas eleições de 2014. A sessão será às 16h, no Tribunal Regional Eleitoral, que acusa a parlamentar de compra de votos e abuso do poder econômico. Além da parlamentar, são réus na ação o ex-prefeito de Santana Robson Rocha e o ex-secretário municipal Antonio Gilberto Souza de Paiva.

De acordo com a ação, as defesas tumultuaram o andamento do processo. Em seu voto, o juiz relator Léo Furtado disse que o assunto já foi discutido em plenário por três vezes distintas, “todas elas após reiteradas tentativas de realização de audiência de instrução e julgamento, a qual ainda não foi realizada ante às claras tentativas das defesas de retardar o curso normal do processo”.

No julgamento desta quinta-feira, Mira Rocha, Robson Rocha e Antonio Gilberto Souza Paiva podem ser condenados à pena de reclusão de até quatro anos e pagamento de multa.

A ação penal relata que servidores temporários da prefeitura de Santana foram obrigados a participar de atos de campanha, muitas vezes no horário de expediente, e que eram coagidos pessoalmente pelo prefeito e supervisores a votar em Mira Rocha e Marcos Reategui, sob pena de demissão se não apoiassem os parlamentares. Passado o pleito de 2014, mais de cem servidores contratados foram demitidos, segundo o MP.

Mira Rocha responde também a uma ação civil eleitoral pela conduta durante as eleições de 2014. No acórdão da ação civil, no ano passado, o TRE-AP cassou o diploma e, consequentemente, o mandato parlamentar da deputada. Atualmente, o processo está em fase de recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Compartilhamentos