Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A Polícia Técnica do Amapá (Politec) descartou crime sexual no caso da empregada doméstica encontrada morta pelos patrões, em uma residência no Bairro Universidade, na zona sul de Macapá.

Ao contrário do que informou a PM no início da noite desta quarta-feira (1º), quando o corpo foi descoberto, a vítima não estava sem calcinha, mas estava de fato jogada sobre a cama e com um tiro na cabeça.

A patroa da empregada, que é policial civil, informou que joias de ouro foram levadas e que o guarda roupas foi revirado. A polícia recebeu uma denúncia anônima indicando o nome de um suspeito eu seria menor de idade, mas até agora ele não foi localizado.

Simei Moura de Freitas tinha 39 anos.  

Compartilhamentos