Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Cerca de 50 agentes da Polícia Federal do Amapá deflagraram na manhã desta terça-feira (14) uma operação contra um grupo de caçadores de animais silvestres. Além desse crime, os suspeitos são acusados de ameaçar funcionários do Instituto Chico Mendes (ICMBio), responsáveis pela Floresta Nacional do Amapá (Flona).

As investigações são feitas em conjunto com o Ministério Público Federal, e a operação foi batizada de “Órion”, menção ao gigante caçador da mitologia grega.

O alvo da operação foi o município de Porto Grande, cidade a 105 quilômetros de Macapá, onde foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão e 10 de condução coercitiva em várias residências. Foram apreendidas armas de fogo, armas brancas e muita carne de jacaré.

Armas apreendidas na operação desta terça (14). Foto: PF/Divulgação

Fotos tiradas por fiscais do ICMBio mostram apreensões de muita carne…

…e armas. Fotos: PF/Divulgação

Segundo as investigações, os caçadores intimidavam vigilantes da Flona disparando tiros em suas residências.

De acordo com a Comunicação Social da PF do Amapá, os “caçadores se valiam do difícil acesso à Flona e da dificuldade da fiscalização para a prática dos crimes e chegavam a abater de 30 a 50 animais por caçada”. Entre os animais mais visados estavam pacas, veados, jacarés e mutuns.

Os crimes investigados são de caça ilegal, associação criminosa armada, ameaça e posse/porte ilegal de arma de fogo, cujas penas chegam a 9 anos.

Armas artesanais também foram encontradas hoje pelos policiais federais

Compartilhamentos