Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Nesta segunda-feira, 5, os professores dos municípios de Ferreira Gomes e Itaubal iniciaram a segunda semana seguida de greve por tempo determinado. Os educadores protestam contra as péssimas condições de trabalho e atrasos no pagamento.

De acordo com os professores, além do salário atrasado, os servidores do administrativo não recebem desde julho, as férias não foram pagas e não há repasses dos consignados para bancos, INSS ou sindicatos.

Professores estão paralisados pela segunda semana. Fotos: Sinsepeap

Professores estão paralisados pela segunda semana. Fotos: Sinsepeap

“Os professores reclamam que faltam mínimas condições de trabalho para o ensino e aprendizagem dos alunos. O movimento segue nos dois municípios para a segunda semana seguida”, destacou o presidente do Sinsepeap, Aroldo Rabelo.

A greve paralisou as aulas de pelo menos 5 escolas municipais de Ferreira Gomes e Itaubal. O movimento segue com protestos até dia 16 de setembro e a categoria irá avaliar se as pautas foram atendidas.

Condições básicas para ensino e aprendizagem também são foco dos protestos.

Condições básicas para ensino e aprendizagem também são foco dos protestos

“Os companheiros irão avaliar se reivindicações foram ou não respondidas para suspender o movimento. Esperamos que com o repasse financeiro do dia 10, sejam pagos alguns direitos”, destacou Rabelo.

Em algumas escolas do ensino fundamental I de Ferreira Gomes, por exemplo, os professores que não aderiram à greve seguem com o calendário normal.

Compartilhamentos