Compartilhamentos

SELES NAFES

O advogado Maurício Pereira, que cuida da defesa do deputado estadual Moisés Souza (PSC), ingressou com pedido de prisão domiciliar em favor do parlamentar que se entregou no início da noite desta terça-feira, 29.

Pereira voltou a criticar a presidente do Tribunal de Justiça, desembargadora Sueli Pini, que decretou a prisão, e a tarde decidiu que o deputado tem que ficar preso no Centro de Custódia do Iapen, no Bairro do Zerão, Zona Sul de Macapá.

A direção do Iapen alegou que não tem efetivo para fazer a guarda do deputado Moisés Souza nas instalações do comando geral da Polícia Militar, a única exigência do comando para receber o parlamentar.

“O Iapen estava colocando dificuldade, mas a desembargadora poderia ter determinado que o Iapen cumprisse seu papel institucional assim como já ocorreu em casos anteriores”, disse o advogado.

Pereira informou que ainda não teve tempo de preparar e ingressar com a contestação da ordem de prisão, que tem a ver com o condenação de Moisés Souza por peculato/desvio e dispensa ilegal de licitação. Ele foi condenado em agosto junto com Edmundo Tork Filho, o ex-corregedor da Alap, Edinho Duarte, e dois empresários.

Com a apresentação de Moisés e de Edmundo Tork Filho, só os três últimos continuam foragidos. 

Compartilhamentos