Atendida nos Capuchinhos, costureira pensou em largar ofício

Centro de Promoção Humana Frei Daniel de Samarate realizou programação referente ao Dia do Idoso
Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

“Estou curada pelo atendimento que tive aqui”, disse a costureira Maria da Conceição, de 63 anos, sobre o Centro de Promoção Humana Frei Daniel de Samarate, os Capuchinhos. Na manhã desta sexta-feira, 24, o local teve uma programação especial pela passagem do Dia do Idoso.

Dona Maria frequenta o centro há 4 anos. Quando teve um problema de osteoporose nas mãos, pensou em parar com o ofício de costureira devido à enfermidade. Ela chegou a fazer tratamento de 3 anos no Hospital das Clínicas Alberto Lima (Hcal), mas foi nos Capuchinhos que viu melhoras na saúde.

O público da terceira idade terá atividade mensal. Fotos: Cássia Lima

O público da terceira idade terá atividade mensal. Fotos: Cássia Lima

“Minha mão não abria mais e os médicos diziam que a única solução era cirurgia. Na época, procurei o Frei Denilson que me ajudou. Eu fiz fisioterapia e estou curada pelo atendimento que tive aqui”, disse a senhora que continua com o ofício.

Ela esteve nesta manhã no Centro de Promoção Humana para prestigiar a programação em homenagens aos idosos e o início de um projeto especial para a terceira idade que ocorrerá toda última sexta-feira de cada mês.

“Essa é nossa primeira atividade de várias para o idoso. Hoje estamos com fisioterapia, prevenção de câncer, combate à automedicação, massoterapia, odontologia e a importância do alongamento e nutrição”, explicou a médica reumatologista dos Capuchinhos e coordenadora do projeto para a terceira idade, Kátia Tabosa.

Orientações sobre automedicação

Orientações sobre automedicação

Maria José de Souza Paiva:

Maria José de Souza Paiva: melhorei 100%

Atualmente, os Capuchinhos têm 30 funcionários e pouco mais de duas dezenas de voluntários que realizam mais de 15 mil atendimentos mensais entre consultas, exames laboratoriais e serviços odontológicos. Por ano, são quase 300 mil atendimentos, sendo que existem 24 mil pessoas inscritas no banco de dados da instituição.  

Uma delas é Maria José de Sousa Paiva, de 61 anos. Ela frequenta os Capuchinhos há três anos e também já conhecia o trabalho do centro, mas só procurou consultas quando teve problemas de saúde no braço esquerdo.

“Meu braço começou a travar, não conseguia mais virar ele. O médico me indicou aqui e eu melhorei 100%. O atendimento aqui é melhor que o hospital, hoje eu me sinto em casa e faço questão de vim prestigiar”.

Idosos receberam atendimento especial nesta manhã nos Capuchinhos

Idosos receberam atendimento especial nesta manhã nos Capuchinhos

Os Capuchinhos existem há 25 anos.  O espaço é referência há mais de 20 anos no Estado com oferta gratuita de serviços como odontologia, cardiologia, clínica geral, nutricionista, pediatria e laboratorial. Mas apesar do sucesso, o centro sofre com a escassez de voluntários.

“Nós percebemos uma demanda muito grande de idosos e estamos com um trabalho específico. Vamos fazer um movimento mensal com danças e palestras, mas precisamos de voluntários para nos ajudar. Quem puder é só procurar o Centro”, pediu o coordenador dos Capuchinhos, frei Carlos Daniel Pestana.

Os interessados podem procurar o Frei em horário comercial no Centro de Promoção, localizado na Avenida FAB, na esquina da Rua Paraná, no Bairro Santa Rita.

Frei Carlos e Ivanete Mendes que são coordenadores do Centro. Eles pedem ajuda de voluntários

Frei Carlos e Ivanete Mendes que são coordenadores do Centro. Eles pedem ajuda de voluntários

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!